Vitaminas e suplementos dietéticos para o tratamento da epilepsia

A maioria dos tratamentos naturais para a epilepsia não é confirmada por testes. No entanto, as drogas antiepilépticas, embora sejam consideradas eficazes, ainda não curam a doença, mas apenas eliminam ou reduzem sintomas e doenças. Portanto, muitas pessoas tentam usar uma variedade de ervas, vitaminas e suplementos alimentares, na esperança de se livrar definitivamente da doença onerosa ou para complementar o tratamento farmacológico.

valerian

As drogas antiepilépticas são extremamente úteis, mas não funcionam em todos os pacientes, e seu uso pode envolver o risco de efeitos colaterais.

Ervas.

O tratamento com ervas é o método mais antigo que foi usado muito antes de a medicina farmacológica e moderna emergir. Existem muitas plantas que trazem efeitos benéficos para pessoas que sofrem de epilepsia. Estes incluem: valeriana, peônia, visco, artemísia. As pessoas com epilepsia, por outro lado, devem evitar todas as preparações que contenham efedrina ou cafeína, o que pode agravar os sintomas da doença.

Você também deve evitar produtos que possam interferir com a ação de anticonvulsivantes: gingko biloba, erva de São João, alho, chá de menta.

Vitaminas.

Para alguns tipos de epilepsia, as vitaminas podem reduzir o número de convulsões. No caso de a epilepsia ser dependente da piridoxina, a vitamina B6 é usada porque o organismo não metaboliza adequadamente essa vitamina.

Um risco maior de convulsões pode estar associado à deficiência de magnésio. Alguns estudos sugerem que a suplementação de magnésio pode reduzir as convulsões. Um artigo sobre este assunto foi publicado na revista Epilepsy Research de 2012.

Muitas pessoas com epilepsia também têm uma deficiência de vitamina E, que tem a força das propriedades antioxidantes. A vitamina E é muitas vezes útil em pessoas para quem o tratamento com drogas convencionais não traz os resultados esperados. De acordo com o conhecimento atual, a vitamina E pode ser tomada com segurança com medicamentos tradicionais para a epilepsia.

Suplementos dietéticos.

A Lifepharm, fabricante do suplemento dietético LAMININE, recomenda o uso desta preparação para a epilepsia. No caso de epilepsia e doença de Alzheimer, a dose deve ser entre 2 e 6 cápsulas por dia, dependendo da gravidade dos sintomas.

Se você estiver interessado em novas ervas ou suplementos alimentares – fale com o seu médico. Pode acontecer que alguns remédios naturais possam complementar o regime de tratamento atual.

Partilhe a sua opinião...